quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Paradoxos do viver.

Viver como ser humano é sofrer com a percepção dos paradoxos. A ignorância é uma benção pois a mesma nos cega para o fato de que os paradoxos nos tira a razão, sempre.
Uma vez ignorante, fica fácil encontrar verdades absolutas para se apoiar e com isso viver com um muro que tenta afastar a angústia.
Viver enquanto ser humano é tentar encontrar a saída do labirinto infernal em cujo qual todos os que estão de olhos abertos veem, porém a saída, se é que ela existe, nos leva a outro labirinto que leva a outro numa sucessão infinita de encontros e desencontros.
Recusar-se a enxergar os paradoxos e com isso nunca abrir mão de nossas certezas evita, pelo menos em partes, que tenhamos que percorrer o angustiante labirinto já citado, porém também nos impede de viver uma vida espiritual ainda em carne.
A solução simples para a angústia trazida pelo labirinto chama-se "bom humor", e sem ele, coisa que aliás anda em falta, a chance de uma jornada leve praticamente desaparece.
Nenhuma verdade é absoluta, claro, nem mesmo essa, mas aqui tento afirmar que fugir da angústia causará mais angústia, fugir do labirinto nos deixará sem saída, buscar apenas o conforto só nos trará mais desconforto, fazer sempre a coisa certa pode ser um erro...
Viver é uma roubada sem tamanho, diria Prof. Clóvis, mas o curioso é que apenas entrando na roubada com bom humor poderemos sair dela da mesma forma que viemos: Puros!


Adam Sócrates.

O intangível firmamento...

Todos nós buscamos justificativas para nossos pecados, todos nós, bem no íntimo desejamos nos livrar deles ao mesmo tempo em que os amamos. Nossas ações inconscientes nos conduzem ao auto-engano, pois assim ficamos felizes por acreditar na ilusão de estarmos livres das paixões enquanto continuamos a saciá-las, agora inocentemente alegres, agora matando a nós mesmos usando a saciedade como desculpa.
O que define um ser humano? Ou melhor, é possível ser humano sem ter algum pecado capital? Os animais não sofrem deste mal, pois em tese, não são racionais.
Desde os mais remotos tempos todas as religiões pregam que devemos nos livrar totalmente das nossas fraquezas, porém sendo as fraquezas capitais o que nos define como seres humanos, teríamos que deixar de sermos sapiens para merecermos o reino dos céus? Se assim for, não existem humanos, ou almas provenientes dos humanos, vivendo no firmamento?
Seria então os céus uma ilusão impossível?


Adam Sócrates.