segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O homem criou Deus sua imagem e semelhança.

Certo dia ouvi uma conversa entre um ateu e um religioso, eram vários os argumentos que vinham de ambas as partes, até que em um dado momento o religioso disse ao ateu: -O certo é esquecermos a religião e nos apegarmos somente em Deus.
Porém o ateu respondeu: - O Deus de qual religião? 

Esta última frase trouxe à tona uma dúvida: É possível acreditar em Deus sem seguir alguma religião?

Embora não seja minha pretensão responder esta questão, pois a mesma é impossível de ser respondida, quero compartilhar algumas impressões.

Em primeiro lugar, vamos pensar um pouco sobre os grupos humanos. Religiões, Torcidas, Motoclubes, estilos musicais, grupos políticos, etc. Associações em geral, são constituídas por pessoas que se reúnem em prol de uma causa. Se todos os seres humanos são iguais, os grupos seriam desnecessários. Porém, se pensarmos nas demais necessidades individuais que todos temos, procuraremos grupos onde melhor nos enquadramos. Se toda religião fosse igual, só existiria uma. Se todo motoclube fosse igual, só existiria um. Se toda torcida organizada fosse igual, só existiria uma (neste caso, os torcedores torceriam para o futebol bem jogado e não para os times) e assim sucessivamente. 

O que diferencia um grupo do outro? -As regras que cada grupo escolhe para definir a organização. 

Reparem que todo grupo têm regras ligeiramente diferentes. Por exemplo (falando agora apenas sobre grupos religiosos), algumas religiões proíbem o café por possuir cafeína, e cafeína por sua vez vicia. Em algumas religiões as mulheres não podem fazer a unha ou cortar o cabelo. Em outras as mulheres podem cortar o cabelo, mas não podem usar calça, e assim por diante. Assim, cada religião tem regras ligeiramente diferentes que diferencia um grupo do outro. Esta lógica, pode ser aplicada a qualquer organização de qualquer espécie. Cada um é livre para escolher um grupo que seja mais conveniente para si próprio, pois como já dito anteriormente, se o ser humano não precisasse criar grupos, eles não existiriam, certo? 

Depois que cada grupo se definiu por conta das sutis variações das suas regras, podemos concluir que toda regra é, em última análise, idiota. Regras, são por excelência, estúpidas. Vejam bem, leis são importantes, mas regras são apenas convenções sociais. Mulher não poder cortar o cabelo e não poder usar calça são regras, e são idiotas. O homem ter que ter cabelo curto, é uma regra idiota. Assim sucede com todos os grupos de qualquer espécie. Cada uma destas religiões definem Deus segundo as regras de seu grupo. Por exemplo, se uma mulher pintar as unhas e em sua religião isto for prática proibida, ela será pressionada a parar de fazer isto, ou terá de sair do grupo, e o argumento é mais ou menos assim: -Deus não se agrada disto! Ou ainda: -Deus vai te castigar! 
Logo, o comportamento de Deus no caso acima foi definido por causa das regras deste grupo, pois o Deus de uma outra religião, onde pintar as unhas é permitido, terá uma reação diferente.

Este pensamento deu origem à frase do título: O homem criou Deus sua imagem e semelhança. O todo poderoso das religiões é uma invenção humana. Deus em essência é impossível de ser definido, qualquer tentativa de fazê-lo, acaba por limitá-Lo e assim O tira da condição de Criador supremo, embora dizer que Deus seja indefinido, é também, uma definição. 

Uma possível descrição que respeite a impossibilidade de definir seria: Deus é onipresente, onisciente e onipotente. Se buscarmos a Deus em um templo estaremos negando o fato de ele ser onipresente, pois o tempo todo, todos estamos Nele, aceitando ou não. Dizer que Deus é bom nega o fato de ele ser Onipotente, pois bom e mau são potências. Rezar nega o fato de ele ser onisciente, pois ele já saberia o que estamos pensando.

Enfim, o Deus definido e limitado por definições é uma invenção humana, o que me leva a responder a questão inicial onde penso não ser possível acreditar em Deus sem participar de um Grupo Religioso.

É desconfortável crer em algo impossível de ser definido, por isto a tentativa desesperada de defini-Lo para então conseguir crer é perfeitamente compreensível. 


Lembrando que em nenhum momento foi questionado o lado bom de pertencer a grupos, pois todos nós precisamos encontrar os que pensam iguais, faz parte das necessidades humanas.

Abraços.

7 comentários:

  1. Du, parabéns, otima abordagem sobre o assunto. Pena que as pessoas não gostem que questionem ou discutam o que para elas é "sagrado"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Marcel, muito obrigado por ler e comentar. Sabe, um dia li uma frase antiga que dizia: -Só pode vislumbrar a possibilidade de acreditar em Deus realmente, quem antes tem coragem para negá-lo no fundo da sua alma.

      Acho que é por aí.

      Grande abraço.

      Excluir
  2. Dú, você, como conhecedor de filosofia que é, deve conhecer essa frase: "Homem, conhece-te a ti mesmo, e conhecerás o universo e os deuses". Acredito que o primeiro ponto, o inicio, seria nos conhecer. Nossas funções motoras, psicológias, nossas células, átomos, Sistema nervoso central e autônomo. Depois disso, que poderá levar muitos anos, daí sim teremos um pouco de conhecimento para estudar Deus. Não acho que o conhecimento de Deus nos seja proibido, ou impossível, mas acredito que invertemos a ordem lógica. Como qualquer artista, conhecer sua criação sempre é bem mais fácil do que entender a capacidade do criador.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Fala Alex, blz? Obrigado por ler e comentar.
    Concordo contigo em tudo o que você disse.
    Gostaria de reafirmar que na verdade não duvido que seja possível compreender Deus, acredito sim que seja possível chegar a este ponto. Aqui quis questionar o Deus imaginário das religiões. Interessante seu ponto sobre a obra e o criador. No caso nós somos a criação tentando entender o Criador, ou somos parte do criador tentando se auto-entender?
    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Mas saiba que eu estou em você, mas você não está em mim". Esse trecho dessa bela música nos ajudará a responder essa questão. Se Ele está em mim, logo também sou parte Dele. Quando despertarmos poderemos então estar Nele efetivamente, pois seremos conscientes. Por isso reafirmo que, ao nos compreender, consequentemente, compreenderemos Deus Melhor.

      Abraço!

      Excluir
    2. Fala Alex, perfeito! Concordo contigo em tudo!
      Obrigado mais uma vez por ler e comentar.
      Abraço.

      Excluir
  4. Ola edu! Bem, nietzsche ja havia dito que deus eh a maior invencao do homem. Nao sei se pelos mesmos argumentos que voce. E esse mesmo filosofo disse tambem que "deus esta morto" e eu acho que ele disse isso por causa desse novo mundo que experimentamos onde possuimos escolhas e acreditamos nelas mais do que na chamada vontade divina. Eu particularmente acredito na existencia de um deus como um ser transcendental e superior que eu nao saberia definir mas o qual posso intuir. As religioes tentam balizar as acoes sociais tanto para aquilo que elas acreditam tanto para seus projetos particulares descaracterizando a "fe" humana. Mas desde que os seres humanos se organizam em sociedade ha a existencia da religiao e todas em essencia pregam uma filosofia que se pauta principalmente pela uniao dos seres e sua capacidade de conviver pacificamente e trabalhar em prol da comunidade. Portanto para alem da existencia de deus e para alem das discussoes sobre o papel atual das religioes no mundo capitalista, eu ainda posso um otimismo em.relacao ao sentimento de uniao que as diversas religioes pregam.
    abracos

    ResponderExcluir