segunda-feira, 22 de julho de 2013

Banda = Trabalho em equipe, O Vocalista! - Problemas e soluções.

Continuando o post sobre os vocalistas.

Como dito anteriormente, o vocalista é uma peça fundamental na engrenagem de uma banda, afinal ele é o porta voz da proposta de uma banda. Aqui vão algumas considerações baseadas em minha experiência pessoal.

A coisa mais óbvia a ser dita é: Já que a voz é um instrumento como qualquer outro, é necessário que o aspirante a vocalista faça aulas com um bom professor, para aprender a usar corretamente sua máquina.

É curioso como as pessoas acreditam que cantores nascem prontos, que basta ter o dom e sair cantando como um milagre. Sinceramente, é impossível ser bom de verdade em alguma coisa sem ter conhecimento, a humanidade já fez avanços consideráveis em várias áreas, não é necessário começar do zero, é perda de tempo e energia.

Existem coisas fundamentais a serem observadas:

1º - Respiração: Ela é toda a base sobre qual será construída o canto, sem uma boa respiração não existirá a possibilidade de expandir dos dotes vocais.

2º - Afinação: Eis um ponto crítico, músicos profissionais são extremamente afinados, quando uma pessoa canta sem ter tido instrução, é possível soar afinado, mas o cantor ficará dependente de seu instinto, e instinto nem sempre funciona, o ideal é saber exatamente o que deve ser feito.

3º - Posicionamento da voz: Existem vários pontos de ressonância dentro do nosso corpo, e cada um deles confere um colorido diferente na voz. Quando uma pessoa começa a cantar sem ter o conhecimento disto, ela pode aprender a colocar a voz em um único ponto, então o canto soará sem graça e dará a impressão que a voz é genérica.

4º - Vibrato: O vibrato só deve ser estudado depois que a afinação estiver em ordem, afinal o vibrato pode mascarar a falta de afinação.

5º - Interpretação do texto: O vocalista está cantando uma letra, logo uma mensagem está sendo transmitida. Antes de colocar uma melodia na letra, é necessário interpretar o texto de forma falada para poder descobrir onde e quais palavras deverão ter mais ênfase. Experimentem ler um texto com ênfases em diferentes palavras, o sentido pode ser alterado graças a este recurso.

Como estamos falando em sou autoral é importante notar uma coisa: -Se estamos propondo algo para o ouvinte, fundamental saber a fundo sobre o tema abordado, logo, o vocalista deve ler muito, deve conhecer assuntos variados, pois de nada adianta cantar uma letra que não possui um ponto de vista diferenciado. É muito comum letras rasas e sem conteúdo. Bruce Dickinson, por exemplo, é cantor, compositor, piloto, historiador, esgrimista, locutor de rádio, autor, roteirista e, inicialmente, diretor de marketing. Várias músicas do Iron Maiden contém referências de fatos históricos, sempre citando poemas e livros famosos. Enfim, existe aí uma pessoa com vasto conhecimento em muitas áreas, é de se imaginar que isto acabe sendo traduzido em músicas geniais e profundas.
Já pararam para pensar quanto conhecimento acumulado, não importando a área, Jim Morisson, Freddie Mercury, Bruce Dickinson, Neal Peart (como letrista) e Geddy Lee (que interpreta), dentre outros possuem?

Caso o vocalista não possua conhecimentos, vai ficar batendo no mesmo tema de sempre: Romance, balada ou anarquia inconsequente, nada contra estes temas, mas Roberto Carlos, por exemplo, fala de amor durante toda sua carreira, mas seu ponto de vista sobre isto é genial.

Outro aspecto importante é sobre o estilo: Existem várias técnicas e vários tipos de vozes, não apenas em relação à extensão, mas também relativo ao timbre. Existem vozes suaves e dramáticas, cada uma casa melhor com determinadas propostas, cabe ao cantor ser honesto consigo mesmo. Renato Russo certa vez disse que gostaria de fazer música mais pesada, mas que sempre soava inocente por causa do tipo de voz que ele tinha, bastou perceber este pequeno detalhe para que sua interpretação e composições crescessem assustadoramente.

Fora tudo isto, ainda se faz necessário que o cantor conheça teoria musical e toque algum instrumento, como é que ele vai musicar sua mensagem usando os elementos coerentes com sua proposta se ele não sabe nada de música? Será que o cantor poderá ser considerado músico sem ter conhecimento? Será que um advogado pode ser bom sem ter estudado? Será que é possível ter pontos de vista diferentes da maioria sem conhecimentos?

A dica é simples, basta deixar o ego de lado, procurar um bom professor, ler bastante, saber ouvir críticas, estudar e aprender com os grandes, simples assim.

Não adianta ficar contente com os elogios dos amigos, da namorada ou da avó, se isto apenas basta para você, sinto muito em lhe dizer, mas você só quer aparecer e não irá muito longe, afinal os concorrentes são muito bem preparados.

E vocês da banda, baixista, baterista, tecladista, baterista, enfim vocês instrumentistas, pensem que se seu vocalista não acha que precisa estudar, notem que vocês estão em um barco cujo capitão não tem condições de como conduzir o barco. É isto que vocês querem?

Abraços.

2 comentários:

  1. Olá Du Cabelo! O que dizer de caras como Hendrix e BB. King e acredito que até o próprio Eddie Van Halen entre outros que não estudaram teoria e no entanto fizeram músicas geniais? Será mesmo que todo grande vocalista sabe tocar outro instrumento e estudaram teoria? Por outro lado sabemos que Steve Vai e Joe Satriani estudaram muito teoria e se tornaram monstros! Acredito que esses que não tem o conhecimento teórico na verdade fizeram sua própria teoria, aprenderam na empiria.

    OBS: Parabéns pelo blog tenho acompanhado e aprendido muito!

    ResponderExcluir
  2. Fala Rubens blz? Primeiramente, obrigado por ler e comentar.

    Hendrix conhecia teoria musical sim, ele também estava estudando para se tornar produtor, uma vez que ele estava construindo um estúdio particular. Hendrix sabia ler partituras, lembre-se de que nos USA a tradição musical é forte, lá os americanos prezam demais que os alunos estudem música na escola.

    Eddie Van Halen gostava de Mozart, por isto ele chama a guitarra dele de Wolfgang. O pai de Eddie tocava clarinete em uma orquestra, ele tocava piano também, quando ele decidiu abandonar a futura carreira de pianista de orquestra para montar uma banda de rock, o pai ficou desiludido, inicialmente. Eddie começou na bateria e seu irmão na guitarra, daí rolou a troca que fez história. Outra coisa, Eddie sabia muito de eletrônica e por isto ele mexia nos amplificadores e na parte elétrica de sua guita. Imagine se Eddie faria a revolução que fez se ele não soubesse destas coisas, seria possível? Creio que não.

    O mesmo pode se dizer de B. B. King, embora ele tenha começado a tocar guitarra aos 38 anos, ele sempre frequentou o coral das igrejas, e como você deve saber, a tradição musical de coral nestas igrejas americanas é gigantesca.
    De qualquer forma, B. B. King não deve ter estudado a fundo, e deve ter construído seu conhecimento, mas tem um detalhe importante a ser pensado: - O estúdio é um grande laboratório, é impossível crescer como músico sem fazer gravações, pois é ali onde vemos nossos pontos fracos e fortes.
    De qualquer forma, B. B. King não vale de referência pois é uma excessão, e excessões não contam. Para cada B.B. King existem 100.000 que precisaram estudar muito.

    Mas, é apenas minha opinião.

    Mais uma vez, meu muito obrigado.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir