terça-feira, 28 de maio de 2013

Banda = Trabalho em equipe, O Vocalista!

Obviamente que cada contexto influencia na função de cada membro da banda, as opiniões aqui expressadas dizem respeito para as bandas que fazem músicas autorais, de qualquer estilo.

Começaremos pela ponta do iceberg e pela peça mais complexa da engrenagem: O vocalista.

Normalmente acredita-se que o vocalista é aquele cara extrovertido, de certa forma irresponsável e a única função que não precisa de fundamentos teóricos, mas vamos a alguns pontos:

O vocalista é um instrumentista como qualquer outro, no caso, sua garganta é seu instrumento, ele precisa saber sobre ritmos e divisão rítmica, precisa conhecer as notas musicais, precisa ser afinado, precisa ter técnica vocal.
Só neste parágrafo, vários candidatos a vocalista já seriam desclassificados, pois existe aquela crença de que vocalista só precisa cantar, não precisa se preparar nem praticar técnicas, coisa muito comum nos outros instrumentos.

Porém em se tratando de som próprio, não para por aí: O que uma banda de som próprio faz mesmo?
Banda de som próprio faz música própria, e claro, toda banda autoral tem uma coisa chamada proposta artística, pelo menos as grandes bandas têm, certo? Dúvidas? Pensem a respeito: Legião Urbana, Raul Seixas, Capital Inicial, Ultrage a Rigor, Pink Floyd, Iron Maiden, AC/DC, Metallica, Frank Sinatra, Roberto Carlos, U2, Madonna o que todos eles têm em comum? Simples, todos eles possuem uma proposta clara.

Os vocalistas das respectivas bandas ou artistas solo, representam com maestria a proposta artística, então pensem, o vocalista é o porta voz disto tudo, logo é necessário falar bem, dominar a semântica, saber se comportar em cima do palco e fora dele, é eu sei que fora do palco muitos fazem excentricidades, mas estamos aqui falando de bandas que pretendem fazer sucesso, logo a figura romântica do artista não cabe mais aqui.

Ah sim, o vocalista é a figura principal de uma banda, o que seria da parte instrumental do Van Halen se o Dave Lee Roth fosse ruim? E o Guns and Roses? E Rolling Stones? Digamos que o vocal é 50% da energia de uma banda, e o instrumental os outros 50%.

Mas atenção vocalistas, antes de irem apontando o dedo para os companheiros de banda, atentem para um detalhe importantíssimo: O vocalista é a figura principal, mas segundo a visão do público, na verdade, todos os integrantes têm igual importância, pois vendo o lado oposto, o que seria do Axl se não tivesse uma banda coesa e poderosa gerando ritmos e harmonias faiscantes? 

Estar na posição de destaque requer gabarito, não basta colocar uma calça apertada, retocar a maquiagem e ficar gritando e pulando se escondendo atrás do argumento chamado: EU TENHO ATITUDE!
Triste verdade, a maioria dos vocalistas é despreparada. 

Você quer ser vocalista? É relativamente simples, basta entrar numa aula de canto, aprender a tocar um instrumento, fazer visitas periódicas a um(a) fonoaudiologista, ler bastante.
E sobre o vocalista ter um grande alcance vocal? -Não é porque um vocalista não canta agudo que ele não é bom, exemplos não faltam: Frank Sinatra, Louis Armostrong, Till Lindemann (Rammstein), Tião Carreiro, Barry White, entre outros.

A maioria absoluta dos vocalistas que abusaram do vocal fazendo super agudos, tiveram em algum momento de suas carreiras sérios problemas com as cordas vocais, Klaus Meine, Axl Rose, David Coverdale, Ian Gillan, Paul Stanley e Robert Plant são alguns exemplos disto.


Como compor melodias sem conhecer um pouco sobre harmonia e melodia? Será que só podemos confiar em nossos ouvidos ou devemos sentar a um instrumento a compor ou aprimorar uma melodia? Se o vocalista não tiver conhecimentos teóricos sobre música, fatalmente a banda terá uma limitação grave em relação a arranjos, quando o vocalista só faz as coisas por instinto, dificilmente ele será capaz de re-arranjar uma melodia, por exemplo.

Então, será que para ser cantor basta apenas ter o dom?


No próximo post, algumas dicas para possíveis soluções destes problemas apontados.

Abraços!