sábado, 30 de março de 2013

Apenas viva.

Não consigo entender um monte de coisas, já perdi noites de sono tentando. Desisti de tentar entendê-las, com isto continuo ignorante, mas com um pouco mais de paz interior.
Deixei de querer que os outros pensem igual a mim, com isto comecei a querer pensar diferente de mim.
Notei que estou preso a um mundo de pré-referências e pré-conceitos, aceitei-os e deixei te tê-los, pelo menos alguns.
Estou no caminho de tentar aceitar os outros como eles são, com isto comecei a me aceitar melhor.
Quanto mais velho fico, mais idiota percebo que sou. A idade não nos des-transforma dos idiotas que somos, apenas consolida as verdades imutáveis.
Velhice traz sabedoria, dirão, mas existe o risco de a velhice trazer o conformismo e o apego a velhas idéias.
Quando entendi que não te entendo, te aceitei. Quando entendi que não me entendo, me frustrei.
Viver é um emaranhado de dilemas, posso fechar os olhos e me recusar a vê-los, ou abrir os olhos e aceitá-los.
Pouco a pouco sonho com o dia que poderei finalmente ver o mundo como uma criança, mas uma criança independente que escolhe seu destino.
A morte se aproxima a cada dia, invisível, imprevisível, não há como se esconder, então é necessário não se preocupar com o inevitável, apenas viva.

Um comentário:

  1. "Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento".

    Clarice Lispector

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir