segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Em busca do timbre perfeito!

Uma informação para quem não é músico.
Timbre é a característica de um som que nos permite distinguir sua origem, isto quer dizer que quando ouvimos um som de piano, sabemos que é piano por causa do timbre.

Ao longo do tempo todos nós músicos estamos sempre buscando o timbre perfeito, aquele som de guitarra maravilhoso tal qual o som do David Gilmour, Slash, Van Halen, Rhandy Rhoads, Jimi Hendrix, Curt Cobain e todos os demais sons que foram gravados em músicas memoráveis. (Neste caso citei apenas guitarristas, mas todos os grandes músicos da história devem ser incluídos nesta enorme lista)

Inicia-se então uma busca infinita pelo timbre perfeito, normalmente todos iniciam a busca imaginando que os equipamentos é quem são os responsáveis por tal fenômeno. A propósito, o mercado musical lucra muito com os instrumentos signature ¹.

Nestes anos como músico eu também já tive este tipo de pensamento , até o dia em que tive a oportunidade de tocar em uma Gibson Les Paul 67 plugada em um Marshall valvulado. Na minha doce ilusão eu iria tirar um som bem semelhante ao do Gary Moore, adivinhem o resultado: Fiasco total!

Claro, pensei que a guitarra não estivesse bem regulada, que o Gary Moore deveria usar algum pedal especial, ou que o amplificador dele deveria ser customizado, etc.

Depois de muitas horas de estudo, de palco, de vídeos gravados, de dois CDs gravados com minha antiga banda chamada Overrock, algumas trocas de captadores para guitarra, trocas de pedais e de amplificadores, notei que o som está nos dedos de quem toca, (Muitos grandes músicos já disseram esta verdade, mas só aprendemos depois de tanto bater cabeça).

Mas afinal de contas, o que esta afirmação quer dizer na verdade?

"Seu som é reflexo de sua personalidade!"
Se você é uma pessoa introspectiva, seu som será introspectivo. Se você for uma pessoa de poucos amigos, Você não conseguirá interagir num grupo. Se você for espalhafatoso, seu som também será. Se for relapso, seu som e sua execução também será. Se for uma pessoa meticulosa, seu som também será, e assim sucessivamente.
Existe um aspecto importante a ser observado:
Todos os grandes músicos exibem uma alegria no som, uma fluência, parece que as notas escorregam para fora do instrumento. Não é questão de simplicidade ou complexidade nas notas tocadas, mas na forma de tocá-las. Já notaram que os grandes artistas são pessoas em geral brincalhonas e debochadas? Por isto a arte deles parece viva!

Nossos dedos obedecem a uma programação cerebral, tudo o que somos, somos em todas as áreas da nossa vida, em um momento tão subjetivo e emocional quanto tocar, é lógico que nossa personalidade falará mais alto.
Se você for uma pessoa cheia de traves, seu som será travado, e por mais que você tenha habilidades e conhecimentos, a energia estará ausente em seu som, e música é energia.

Quer ter um bom timbre? Comece a questionar sua personalidade, tente derrubar as barreiras mentais de sua vida. 

Um dia eu afirmei a seguinte besteira:
-Jamais usarei terno! 
O que isto quer dizer? 
-Quer dizer que eu tinha uma trave, afinal que diferença faz usar um terno se for em uma ocasião em que a minha presença for muito importante, como por exemplo a formatura de alguém que eu considero especial?
É um exemplo simples, mas ilustra bem! 
Tive oportunidades de tocar com pessoas sem traves e com pessoas travadas, e acreditem, a pessoa travada, trava todo o som, e como dito anteriormente, tudo é questão de energia.

Também posso afirmar com toda certeza e orgulho que um dia eu fui um cara travado e que hoje isto é passado. (Ninguém aqui está falando em ser perfeito, apenas livre!)

"Isto quer dizer que o que você é, é o que será traduzido quando você for fazer qualquer coisa na vida, se for cozinhar, desenhar, pintar, jogar futebol, escrever, pintar uma parede ou consertar um cano da cozinha, sua personalidade de alguma forma estará ali, em maior ou menor grau, dependendo da atividade que estiver fazendo".

Ah é, faltou falar do timbre do David Gilmour e dos demais.

Timbre é questão de contexto, e os gringos ainda estão muito a nossa frente neste quesito.
Imaginem Pantera sendo tocado com a guitarra do U2 e vice-versa. O que aconteceria?
-Não funcionaria e a música ficaria horrível. Os timbres destes caras são legais por serem muito condizentes com o contexto. 
Basta ouvir os instrumentos separados no YouTube para perceber que os instrumentos isolados possuem timbres normais, não existe aquela mágica que todo mundo quer acreditar. 
Quer dizer que dá pra tirar um som legal com qualquer equipamento, desde que se saiba o que é necessário para cada situação.

Abraços.


Queria agradecer ao Fernando Bussab e Maurício Surtão, pois as idéias aqui contidas foram formuladas com base em muitas de nossas conversas.

1 - Instrumentos Signature: São aqueles que levam a assinatura do artista. Normalmente são construídos com as especificações do mesmo.


7 comentários:

  1. você pensa que pensa, mas se engana, só escreve um monte de merda...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ler e deixar sua crítica construtiva. Bom Domingo!

      Excluir
    2. Esquenta não Dú, é só um otário que mordeu a chumbada..hehehehehe

      Excluir
    3. prefiro rabada...

      Excluir
  2. A perfeição nesse caso serviria de norte para a nossa busca ontológica pessoal, sendo que mesmo diante da nossa inconstância variável (Que pleonasmo hein?!), a liberdade sempre é a melhor pedida. É ela também a responsável pela legitimação das nossas escolhas, pois não sendo assim, os dilemas seriam meras imposições da condição humana, e talvez pela falta da necessidade da deliberação dos atos, nunca teríamos saído das cavernas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Otto blz Bro?

      Pois é, perfeição no caso citado, é apenas vaidade. Não existe esta perfeição se olharmos para o objeto isoladamente. Uma peça aparentemente tosca, pode ser perfeita se dentro de um contexto. Para nos encaixarmos em um contexto, precisamos desligar o ego, desligando o ego vem a liberdade, com a liberdade vem a evolução.
      Obrigado por ler e comentar, grande abraço.

      Excluir
  3. bom rss primeiro q pra comparar uma pessoa com a outra ambas devem estar mais ou menos no mesmo nivel fodastico musical rss dai sim concordo q eh coisa de personalidade. qdo eu toco com outras pessoas que sabem tao pouco qto eu nao existe timbre ahahah mas no caso da personalidade nao eh apenas na execuçao e sim na criaçao. axo q a criaçao eh o nucleo da mente. ehe muito mais dificil criar do que executar, mas eh mil vezes mais facil pro criador executar sua obra pq ela é parte dele, do que pra uma outra pessoa que a reproduz.

    ResponderExcluir