quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Feliz Ano Velho.

Carlos Drummond de Andrade em seu poema "Cortar o tempo" disse:


"Cortar o tempo

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente".


O comércio, como sempre, estraga tudo. Pessoas ávidas por consumir, qualquer data é motivo para as todos correrem até a loja de quinquilharias mais próxima e estourar os limites do cartão de crédito comprando todo o tipo de bobagens, como manda a tradição...


Todo final de ano é a mesma ladainha de sempre: Retrospectiva, Show do Rei, tendências para o novo ano e o mais importante: DEFINIÇÕES DE ANO NOVO!


Como disse o nosso amigo Carlos, Carlinhos para os mais chegados, com o ano novo uma nova vontade de acreditar que tudo vai ser diferente desta vez a partir da meia noite da milagrosa data.


Como o ser humano gosta de se enganar! Será que realmente teremos força de mudarmos certas coisas na nossa vida? Será que os casais infelizes agora resolverão seus problemas de uma vez por todas, mesmo que o divórcio com divisão de bens seja a melhor alternativa? Será que aquela pessoa que sonha em usar calça 4 números abaixo vai finalmente resistir às tentações culinárias e rejeitar a lasanha, o brigadeiro e o chocolate para emagrecer os tão sonhados 20 kilos? Será o aluno indisciplinado finalmente vai se conter e conseguir notas melhores? Será que todos nós conseguiremos conter as nossas paixões quando o badalar da meia noite do dia 01/01 chegar?


Pelo que me consta, só mudamos quando a água bate na bunda, raros são as pessoas que mudam sem precisar de um estímulo do destino, e estas pessoas não precisam esperar pelo ano novo.

No geral, a maioria sempre fica onde está, confortavelmente anestesiados, sonhando.


"Como sempre acontece, nada vai mudar, não milagrosamente, na verdade tudo vai continuar exatamente igual, ano após ano, a menos que uma tragédia aconteça na vida e force uma mudança radical.

Por isto venho aqui desejar a todos um Feliz Ano Velho, usando roupas brancas e novinhas em folha, claro!"



Observações:


  • Por conta do relato acima resolvi não fazer nenhum voto para o ano que chega, afinal é só mais um dia e nada mais, o barato é continuar tentando concretizar os velhos planos.




  • Não é questão de pessimismo, apenas deixe de fazer parte da clientela que compra um monte de coisas sem utilidade e com isso enriquece os empresários.


Agora falando sério, Feliz 2013!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

A maior batalha é aquela contra nós mesmos.

Normalmente quando tentamos ser honestos com nós mesmos, não gostamos do que vemos, daí desistimos do auto-conhecimento e passamos a usar máscaras e colocar a culpa nos outros.
É necessário coragem para vencer os nossos medos, pois o nosso adversário é nosso próprio ego, e ele nos conhece melhor que nossa vã consciência pode admitir. Ele, o ego, conhece nossas fraquezas e nossas armas, ele não cairá nos nossos truques. A única forma de enfrentá-lo é usando a cara limpa e a franqueza com nossos sentimentos.
Encare este fato: A vida é curta demais para ser apreciada através dos dois buracos pequenos que as máscaras possuem, jogue-as fora e tente ver o mundo sem a lente da hipocrisia e do medo, veja a vida como ela é e a aprecie em sua plenitude, se tiver coragem. 


Texto baseado em uma conversa com meu amigo de banda Fernando Bussab.