terça-feira, 11 de setembro de 2012

Cover do Cover.

Há um bom tempo que bandas covers existem por aí, a primeira banda que me lembro de ter visto foi o Guns and Roses Cover, acho que em 1993.
Na época fazia muito sentido esta moda, afinal não existiam informações sobre como tocar estas músicas (era legal ir aos shows para ver como se tocavam determinadas músicas), e também as bandas gringas não vinham muito para cá, logo a banda cover supria esta necessidade.

Depois de um tempo, surgiram milhares de bandas covers até que o público ficou saturado e elas acabaram desaparecendo.

Atualmente, vivemos um novo boom de bandas cover, só que agora a coisa piorou drasticamente, vamos aos fatos:


  • Hoje com o barateamento dos equipamentos, temos muito mais bandas de garagem, e para um pessoal se juntar e sair fazendo algum cover de qualquer banda fica mais fácil, resultado: Temos um monte de bandas cover com uma qualidade duvidosa.
  • Estas bandas covers se preocupam mais em copiar a aparência do que em tocar direito.
  • Os eventos por aí só atraem público de tiver qualquer coisa cover, o público simplesmente descarta trabalhos autorais, ou bandas que tocam covers variados.
  • Atualmente existem bandas tributos fazendo turnê mundial, este ano no Brasil veio um Led Zeppelin tributo, eles são da Inglaterra. Agora em novembro virá um tributo ao Queen, também Ingleses.
  • A onda cover é mundial, só pode.


Não estou dizendo que sou contra este tipo de banda, é uma fonte de renda, muitas bandas cover ganham a vida assim, pegando carona no sucesso alheio.


O problema é que não existe mais espaço para bandas autorais, salvo alguns festivais, mas estes por sua vez, precisam de bandas já consagradas para angariar público e arcar com os custos.


As bandas que se propõem a fazer um som próprio ficam esquecidas, o público não tem interesse em descobrir coisas novas, eu mesmo era um desses, até que notei que coisas novas precisam surgir, e que as grandes bandas, têm sua história e seu valor, mas elas precisam dar espaço aos novos.
Os membros AC/DC (uma das minhas bandas favoritas) disseram que eles ficaram espantados quando resolveram fazer uma turnê com a quantidade de público que eles ainda têm, eles achavam que estavam velhos e que ninguém lembraria deles, mas também comentaram que gostariam de ver novas bandas decolando.


"Se o público continuar assim, as bandas cover regravarão a discografia da banda original, e um dia este mesmo público terá que ver bandas cover do cover". 

5 comentários:

  1. A mais pura e "cruel" realidade...
    Parece claremente que o novo se tornou demode.
    Triste realidade, torçamos para que mude e o público não se contente eternamente com uma duzia de eternos ídolos e dêem espaço em suas prateleiras para aqueles que tanto trabalham para trazer inovação sem ignorar o trabalho de seus também eternos ídolos.

    ResponderExcluir
  2. Oi Scarlet, tudo bem?
    Estamos vivendo a era do tédio, só pode.
    Mesmo em filmes, estamos na moda do re-make, acho que a coisa é generalizada.
    Obrigado por ler e comentar.

    ResponderExcluir
  3. Guilherme Gaspersen17 de setembro de 2012 17:04

    Pois é, Du. Sou muito a favor de eventos e festivais tocarem mais sons autorais que covers. Claro, cover atrai bastante público e é quando os sucessos são tocados anima a galera. Mas o principal problema é esse que você colocou muito bem, as pessoas não estão tão abertas a conhecer coisas novas, se contentam com seu conhecimento atual e, até eu mesmo já presenciei, vi amigos meus menosprezando bandas novas ou até mesmo sons convers desconhecidos apenas porque não conheciam e viraram as costas e saíram. Isso é triste demais
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  4. Fala Guilherme tudo bem? Obrigado por ler e comentar.
    Abç

    ResponderExcluir
  5. Sem falar, é claro, que além de cover, eles FAZEM QUESTÃO de serem verdadeiros CLONES dos originais. Ninguém inventa nada, ninguém cria nada, ninguém dá uma variada sobre o tema. Todo mundo FAZENDO TUDO IGUAL. Eu sinto MUITA RAIVA disso, não consigo evitar. E se você tenta fazer algo diferente do original, colocar algo seu na interpretação, você é CRUEL E IMPIEDOSAMENTE DISCRIMINADO. Isso é SIMPLESMENTE RIDÍCULO E NOJENTO. Não se pode fazer nada diferente que o povo reclama, dá piti. Eu sinto isso na pele.

    ResponderExcluir