quarta-feira, 2 de novembro de 2011

A triste realidade do Rock Nacional

Um vídeo que me chamou a atenção foi o do Programa Especial Rock Express onde o vocalista Edu Falaschi (Almah, Angra) deu uma declaração "bombástica" a respeito do Metal Nacional.

As declarações bombásticas de Edu me fizeram refletir sobre algumas coisas:

Em primeiro lugar não seria mais fácil parar de se sentir injustiçado e tentar se auto-criticar? Normalmente todos os seres humanos tendem a achar que a culpa é sempre do seu próximo, mas segundo a teoria de um grande amigo chamado Lucas Gnann que diz: "Sempre que nos ferramos é porque nós é quem estamos errados!" se esta verdade fosse aceita o Edu Falaschi não precisaria ter feito estas declarações deprimentes e com palavriado impublicável.

"-Brasileiro é chupa-rola de gringo"...  Infelizmente ainda não dá pra comparar bandas nacionais com as gringas, por culpa dos próprios músicos do Brasil, basta assistir aos shows do Rock in Rio 2011, qualquer banda gringa tira um som muito melhor e mais claro do que as nacionais em qualquer estilo.
Como comparar Almah, Angra (bandas do Edu) com AC/DC, Whitesnake, Bon Jovi, Iron Maiden?
As bandas gringas citadas fizeram história, trabalharam muito, mas muito mesmo para atingir o patamar que atingiram e quem já teve a oportunidade de assistir a um show destas bandas sabe o quanto a experiência de ver AC/DC por exemplo é fantástica, agora basta dar uma espiada no show do Angra no Rock in Rio e tirar suas próprias conclusões. Fã não é burro, fã quer ir a um show e sair de lá com a sensação de que participou de algo maravilhoso, infelizmente os brasileiros ainda têm muito o que aprender a respeito do universo que cerca todo o processo de uma grande banda.

"-No Brasil tem bandas boas pra caralho e o público brasileiro não sabe o que está perdendo"... Como dito acima não adianta chorar, as bandas gringas estão muito acima das nacionais em inúmeros aspectos. Normalmente o brasileiro tenta compensar seu complexo de inferioridade em relação aos importados se achando melhor ou igual que o resto do mundo (inclusive os governantes pregam isto também) mas não pararam para analisar o que os gringos têm de melhor e tentar aprender e aperfeiçoar para daí então poder crescer.

Será realmente que as músicas das bandas nacionais são tão boas assim? Será que as bandas são tão boas assim? Por que será que aos poucos as pessoas vão perdendo a vontade de ver os nacionais? E o tratamento que muitas destas bandas dão aos fãs? Muitos dos nomes citados pelo Edu não primam pela gentileza com seus fãs.

Se ele parasse para refltir nas suas próprias performances ao vivo, se parasse para criticar suas próprias músicas sob a ótica de um fã, se ao invéz de ficar se achando e xingando as pessoas (que alías como pessoa pública ele jamais deveria ter esta atitude infantil) com certeza perceberia que não adianta ficar chamando as pessoas que vão na área vip de burras. 
Se o metal nacional está morto a culpa não é do público mas de quem faz o metal que são as bandas, as próprias bandas são culpadas.
Sejamos honestos, quantas bandas nacionais produziram hinos do naipe de Back in Black, The Number of The Beast, Breaking the Law, Sweet Child of Mine?
Talvez na ânsia de mostrar que são bons os músicos brasileiros de rock fazem músicas que são mais vitrines de virtuosismo do que canções que dão prazer em ouvir, ninguém aguenta ficar ouvindo masturbações instrumentais, as pessoas querem ouvir boas músicas nada mais.

Mais uma coisa me chamou a atenção: Como que uma pessoa pública dá declarações com aquele palavriado? Como pode ficar xingando e mandando as pessoas para a casa do chapéu? Como ficar falando que quer que todo mundo morra? Como torcer para que quem não vai no show das bandas que ele acha que são as melhores virem fãs de Restart... Nunca via tamanha sequencia de bobeiras, falta de respeito e megalomania juntas numa mesma "Declaração bombástica"...

"Se músicos como Edu Falaschi são os representantes do Metal Nacional é melhor que o Metal Nacional descanse em paz mesmo!"

Pra quem quiser, abaixo segue o vídeo.
Abraços.

 

16 comentários:

  1. hauhahua
    Concordo!!
    Nós não fazemos um bom trabalho e queremos crédito...
    Todas as bandas que lotam um estadio tem algo a mais... Não eh possível 60.000 pessoas irem ao AC-DC ou ao METALLICA só porque são "paga-pau"...

    ResponderExcluir
  2. "Infelizmente ainda não dá pra comparar bandas nacionais com as gringas, por culpa dos próprios músicos do Brasil, basta assistir aos shows do Rock in Rio 2011, qualquer banda gringa tira um som muito melhor e mais claro do que as nacionais em qualquer estilo".

    Mas daí cito um exemplo superficial.
    Ramones não tocava nada, Nirvana muito menos, e mesmo assim se colocasse hoje, ainda lotaria shows com 20 à 50 mil pagantes.
    Na realidade o povo brasileiro é paga pau de gringo mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Fala Chalps blz?
    É, mas você não considerou que tanto Nirvana quanto Ramones foram bandas que embora ao vivo não fossem tão boas assim estas duas bandas fizeram história e criaram um estilo que cada qual a seu tempo mudaram a história da música.
    Nenhuma banda brasileira de rock conseguiu este fato ainda.
    Os músicos Brasileiros que fizeram história são de outros estilos como João Gilberto por exemplo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Realmente, não tiro o mérito dessas bandas.
    Mas o ponto que eu queria esclarecer realmente foi o que foi destacado no texto postado, sobre qualidade das bandas.
    Aqui tem bandas muito boas também, não preciso nem ir pelo cenário grunge ou punk, vou por um mais complexo.
    Tuatha de Danann e Hangar, ambos estilos diferentes, mas complexo, e muito bem executado pelas bandas, e brasileiras.

    ResponderExcluir
  5. Fala Chalps, mais uma vez obrigado por comentar.
    Sabe, já vi shows do Angra, Sepultura e Almah, também vi AC/DC, Maiden, Ozzy, Rush dentre outras o que as bandas nacionais ainda não sacaram é que tocar bem não é um diferencial mas sim uma obrigação básica. Bandas são como empresas logo precisam ter produtos (no caso as músicas) de qualidade e veja bem qualidade não tem nada a ver com virtuosismo.
    Outra coisa, os shows das bandas gringas são muito mais energéticos talvez pela experiência que elas adquiriram ao longo dos anos em ser um produto de entretenimento além de arte.
    Abç!

    ResponderExcluir
  6. ...ainda completando o que você disse, não basta apenas ter um produto bom. Hoje em dia com o mercado, além de bom tem que ter um diferencial...
    Falo isso depois de estudar Marketing por 4 anos. Acho que no Brasil as pessoas acham uma afronta tratar bandas como produtos, e dá nisso.

    Aliás, Dú...ótimo blog. Fez-me lembrar das aulas de guitarra que tive há um bom tempo atrás.

    ass. Monique Marinho (não sei se vai lembrar... a filha do dentista! haha)

    ResponderExcluir
  7. Se ele quer que os fãs virem fãs de Restart, é só imitá-los. Bota uma calça laranja, uma camiseta azul-piscina, um par de tênis vermelhos, um boné verde, e uma jaqueta com estampa de oncinha ou leopardo. E começa a fazer "musiquinhas" com "letrinhas" de "amorzinho" adolescente. Ô, Edu Falaschi. Tu vai ficar choramingando igual a uma mulherzinha até quando???? Se tu quer chorar, ENTÃO CHORA FEITO HOMEM, PORRA!!!!

    ResponderExcluir
  8. Oi Monique como você é hein??? Claro que me lembro.
    E você como anda?

    Felicidades.

    ResponderExcluir
  9. Quando vi o show do Angra pela Multishow, transmitido ao vivo, pensei em trocar meus cds da banda por "João Gilberto", pois foi o pior show do RiR. Comentando depois com colegas, vi que na verdade as pessoas estavam com receio de dizer isso por conta do peso que o nome Angra conquistou com o André Matos. Penso Du, que vc é bastante corajoso quando aponta que as bandas nacionais não prezam a necessidade de se fazer o melhor quando se propõe a compor e tocar; Já fui em shows fantásticos, onde sai dizendo o que vc menciona... Penso que de forma quantitativa a música que se ouve em portugues é tão ruim, que uma banda ja se forma pensando que pode fazer só um pouquinho melhor do que ja se tem e conseguirá ganhar dinheiro. Respeito ainda mais seu comentário por saber o quanto vc estuda, lê sobre o assunto e se dedica ao bom rock in roll - clássico ou não, gringo ou não.
    Interessante ler que Nirvana e Ramones não tocavam nada... dicordo. Cada cabelo bagunçado e camisa xadrez sobre outa de malha que se ve na rua tem um motivo: Kurt Koban, independente se o moleque que usa sabe disso ou não. Acredito, como na teoria que vc cita de seu amigo Lucas Gnann, que se Ramones chegou onde chegou (em um dos postos mais altos do Rock mundial - em tempos em que não se tinha internet pra ficar conhecido!!!)não foi por que fizeram tudo errado, sem saber fazer música, ou pensando em fazê-la de qualquer geito. A humildade de fato é uma qualidade de poucos.
    Du, parabéns por seu blog e por despertar sempre alguma inquietação através de seus post a quem lê. Abração.
    Cris Cinat

    ResponderExcluir
  10. Oi Cris tudo bem? Obrigado pelo seu comentário!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Olha só. Não acho que ele tá errado não. A maioria das bandas gringas que vem pra cá quase nunca vieram no auge, se vieram, daí quando tão mortas, como o Guns n' Roses, lotam o estádio. O único que eu vi realmente mostrar serviço no RiR foi o Metallica e o System of Down. E eles fazem por merecer. Mas o resto só vem pra cá ganhar dinheiro pra continuar vivendo. E o povo brasileiro é realmente burro e não sabe valorizar o que tem dentro do país. O motivo pelo qual fizeram riffs fodas, é pq os americanos encaixam em tudo que existe de propaganda que vocês veem, e pra piorar vocês aceitam, ao invés de promover os nossos lá fora. E o show foda do Angra aqui no Rio foi 15 reais. E teve gente dizendo que amava o Angra e não foi porque tava sem grana. Mas arranjaram uma grana desgraçada pra ir no RiR só pra ver alguém que veio de fora. É fácil criticar o Edu quando não se vive o que ele tá vivendo e não se faz parte do cenário musical brasileiro, onde bandas como Restart e Cine tão montadas no dinheiro. Se o brasileiro fosse menos fútil e cobrasse mais dos governantes e mostrasse mais respeito e dedicação por quem compõem a cultura brasileira, esse país não estaria afundado na merda.

    ResponderExcluir
  12. O fato de nós brasileiros não valorizarmos as bandas nacionais acredito que tenha mais a ver com a falta de divulgação da mídia. Posso citar nos anos 70 Casa das Máquinas, O Terço, Secos e Molhados, Made in Brazil e Mutantes, como bandas tão boas quanto as gringas. Com clássicos que em nada fica devendo aos clássicos gringos como Casa de Rock(Casa das Máquinas), Hey Amigo(O Terço) ou a belissíma 1974, O lendário disco da banana do Made in Brazil e outras tantas dos Mutantes e Secos e Molhados, e bandas um pouco mais atuais como Dr. Sin, power trio pra fã de Van Halen nenhum botar defeito. São bandas que o grande público não conhece, a mídia não mostra.
    Colocar Mutantes, uma das prinipais bandas de rock brasileira no palco secundário do Rock in Rio é uma prova do descaso com o rock brasileiro.
    O Rock brasilero não é valorizado porque não tem história, não foi escrita pela grande mídia.
    Em 2010 Bebeco Garcia grande guitarrista gaúcho morreu e a pra total descaso, a globo não noticiou, outras figuras lendárias como Dudu Chermont (Patrulha do Espaço), Sérgio Santana (Patrulha do Espaço), Manito entre outros que ajudaram a a fazer a história do rock nacional( o verdadeiro rock) também faleceram e ninguem sabe que são.
    A mídia limita o rock nacional aos anos 80. Fazendo com que o verdadeiro rock nacional seja totalmente desconhecido. E continua assim até hoje.

    Abraço a todos e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  13. Fala Rubens blz?
    No caso citado por vc creio que houve uma descontinuidade dos trabalhos. De-repente acabaram as bandas que você citou e entraram as dos anos 80. Mas ainda continuo com a minha opinião.
    Dr. Sin não pode ser comparada nem de longe com Van Halen e digo isto pois sou muitíssimo fã de Van Halen. Não digo jamais pela capacidade técnica dos músicos, mas pela qualidade das composições.
    Abraços e obrigado por ler e comentar.

    ResponderExcluir
  14. Olá Du Cabelo tudo blz sim!
    As bandas que eu citei acabaram justamente pela falta de incentivo da mídia, não vivi a época, apenas li entrevistas e relatos de vários músicos, eles cansaram de amargar por baixo público e produzir discos de forma independente, como ainda é com a nova geração.
    Comparar o Dr. Sin com o Van Halen talvez tenha sido exagero mesmo, mas nem aqui e nem em lugar nenhum hoje em dia, veja bem hoje em dia existe alguma banda com a capacidade criativa de bandas como Led Zeppelin, AC/DC, Deep Purple, Van Halen, Iron Maiden e todos os clássicos obrigatórios para ouvir.
    No cenário musical de hoje as bandas nacionais na minha opinião não tem nada de inferior ao que esta sendo produzido internacionalmente. Ouça Pata de Elefante, Carro Bomba e o próprio Dr. Sin.
    Agora é um absurdo colocar uma banda do porte de Mutantes no palco secundário do Rock in Rio, simplesmente esquecemos dos Mutantes! A banda toca mais fora do Brasil do que aqui! E pagamos pra ver Coldplay, Red Hot Chili Peppers, Snow Patrol, Lenny Kravitz e por ai vai...
    Como escreveu o produtor Celso Barbieri, rock no Brasil é: "nadar contra a correnteza."
    Na Argentina por exemplo as bandas argentinas lotam seus shows, o público canta junto, e são valorizados. Veja o festival Quilmes Rock no youtube, um festival que se eu não me engano acontece anualmente. E veja como o rock de la é tratado!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. Fala Rubens blz? Concordo com você, hj em dia nada que surge consegue superar os veios..rsrsrsrsr.
    Mas sabe qual a diferença real das bandas gringas para as nacionais? Além de tudo o que eu disse no post, os caras lá fora sabem como ninguém a fazer um trabalho de promoção.
    Tipo assim, já viu as finais de futebol americano? CAra é super profissional e super bem produzido. Aqui no Brasil é tudo muito amador, a parte de imprensa e marketing não chega nem aos pés dos americanos.
    As bandas daqui são esquecidas porque não fizeram um trabalho decente de marketing como as bandas gringas fazem. Pense bem, Iron Maiden nunca tocou em nenhum tipo de rádio até o final dos anos 90 e mesmo assim conseguiram superar e muito as barreiras do ostracismo. Qualquer banda americana por menor que for tem uma equipe trabalhando por eles em vários aspectos. Aqui no Brasil como já disse ainda é tudo muito amador e se deixar que a mídia e o público procure não vai rolar, o povo tem memória curta, principalmente no Brasil.
    Sobre a Argentina, infelizmente tenho que concordar com vc... A mentalidade do país é outra. Teríamos que mudar toda uma mentalidade de um povo para ver melhorias aqui.

    Abraços e obrigado por escrever.

    ResponderExcluir
  16. Olá DuCabelo!

    Realmente marketing eles sabem fazer, e não tinha pensado por esse lado, mas vale lembrar que eles contam com muito mais dinheiro pra fazer o trabalho melhor, além disso a mídia também não ajuda, vende a pior música possível como se fosse a melhor coisa e ainda chamam isso de cultura.
    Tenho 20 anos sou estudante de guitarra, e penso que a realidade do músico aqui no Brasil em especial o de rock é a uma das mais injustas.

    Parabéns por tudo , um dia chego lá. Abraço!

    ResponderExcluir