terça-feira, 22 de novembro de 2011

Feliz dia do Músico.


 “A música escolhe seus companheiros, mas poucos são aqueles que têm coragem de assumir a profissão de músico e seguir em frente sem medo e não importando quantas dificuldades terão de ser vencidas”.

Dia 22 de novembro é o “Dia do Músico” é um dia para lembrar que músico é profissão. Sim, lógico que é uma profissão.

Muitos músicos passam por uma situação curiosa e muitas vezes frustrante.
O músico (vamos chamar assim o indivíduo) vai até uma loja comprar alguma coisa, mas antes tem de abrir um crediário então vem a pergunta:
- Qual sua profissão? Pergunta o vendedor.
- Sou músico. Responde o sujeito.
- Fora isto você trabalha em alguma outra coisa? Pergunta novamente o vendedor.

Acreditem, tanto eu, quanto muitos de meus amigos Músicos passaram por esta situação e muitos ainda passarão, claro que bem aos poucos isto vem mudando, mas é engraçado como para a maioria das pessoas música é uma coisa banal que não é encarada como profissão.

Quando eu resolvi assumir que ia ser músico minha mãe me disse:
- Filho pense bem, se você se esforçar consegue fazer uma faculdade para uma profissão decente, música não dá em nada!
Como assim música não dá em nada? Zezé Di Camargo, Jota Quest, Gilberto Gil, Lulu Santos, só para citar Músicos brasileiros são pobres? A música deles não deu em nada? Temos ainda os músicos de apoio das grandes bandas e todos eles têm uma carreira de sucesso, apenas não estão sob o holofote.

- Ah, mas estes estão ricos mas muitos outros não conseguiram dirão alguns. Mas em todas as profissões é assim, quantos jogadores de futebol existem pelo Brasil afora? Quantos destes conseguem subir na carreira e ficar milionários? Uma vez vi na televisão que há trezentos mil jogadores cadastrados na CBF, então se considerarmos que apenas uns 400 ficam bem de vida e que só uns trinta conseguem ficar milionários, vou falar para a criançada que ser jogador de futebol não dá futuro.

Voltando para a profissão de músico, acho uma profissão como qualquer outra, tem seus altos e baixos, tem suas dificuldades e suas angústias mas afirmo com toda a certeza do mundo é uma profissão maravilhosa.
Quantos amigos tenho por causa da música? Acho que 99% dos meus amigos fiz dando aulas ou tocando por aí, muitas profissões não permitem isto, sem falar ainda que faço amigos de todas as idades, a música tem este poder de romper barreiras.

Outra coisa fundamental, mas que passa despercebida aos leigos é que uma pessoa que queira ser músico profissional precisa estudar e se dedicar muito, como aliás em qualquer profissão que necessite de alguma graduação, sem falar nas inúmeras horas de treino individual mais ensaios em grupo. Muitos acreditam que só o dom basta, inocência pura!

Existe a visão distorcida do músico irresponsável, criada pelos próprios músicos, mas isto é uma coisa do passado, quem quer se dar bem profissionalmente tem de se comportar como um bom profissional.
No meu caso, além de músico sou professor (outra profissão desvalorizada). Ao longo dos anos muitas pessoas primeiro chegam como alunos e com o passar do tempo tornam se grandes amigos e como dito antes, alunos/amigos de todas as idades, é a música realmente une as pessoas, sou grato a ela.

“Muitas pessoas que tocam algum instrumento, profissionalmente ou não, podem se auto intitular como músicos, porém poucos são os que realmente poderiam ser chamados, pois a música pede em troca a dedicação, respeito e humildade”.

A estes, meus sinceros cumprimentos.

“FELIZ DIA DO MÚSICO!”

2 comentários:

  1. Boa tarde colega !!!

    Li seu post e me veio à cabeça uma pergunta que eu tinha que responder na faculdade. Sobre o papel da Filosofia e da Arte na nossa profissão.

    Acho que tem a ver com uma parte do que você escreveu:

    O papel principal da Arte e da Filosofia, não só na minha profissão, mas na vida em sociedade em geral não é tão claro ao ponto de ser definido em algumas frases, mas atinge vários aspectos da vida dos indivíduos que as tem presente no seu dia a dia.
    A arte, por ser muitas vezes reflexos de pontos de vidas abstratos dos artistas, desperta em que a contempla a capacidade da sensibilidade e da intuição. Quem a observa, acaba por se tornar, de uma forma ou de outra, uma pessoa capaz de se colocar no lugar do artista, para tentar entender quais foram os sentimentos que o motivaram a compor aquela obra. Esse exercício, faz com nos tornemos mais tolerantes a tudo que nos é adverso.
    Já a Filosofia, algo pleno no ser humano, nos da a capacidade de desenvolver a nossa humanidade através da reflexão: capacidade de análise do contexto adverso e a capacidade de criar alternativas à esse contexto. A tolerância, nos permite aceitar o próximo e principalmnente aprender com o próximo. Essa tolerância teria evitado o genocídio indígena nas américas e teria dado aos europeus muitos conhecimentos sobre plantas e curas que se perderam com as florestas desmatadas.
    Eu como estudante de Música, dependo da Filosofia e da Arte para seguir com minha profissão, seja lecionando, compondo ou interpretando obra de outros compositores. É a capacidade de refletir e de sentir que vai moldar minhas interpretações, que vai me possibilitar inovar nas minhas composições e de aceitar, de uma forma crítica, tudo que me for apresentado. A humildade e a noção da nossa própria limitação é que define a capacidade de evolução do artista.

    Viva a música. Viva a arte e a tolerância.

    Parabéns a todos os músicos.

    OBS: Agora vou voltar a estudar hehehe ...
    Abraço!

    Bruno H.

    ResponderExcluir
  2. Fala Sr Bruno blz?

    Cara, concordo com tudo o que você escreveu, muito legal seu comentário.

    Obrigado por comentar.
    Bons estudos!

    ResponderExcluir